Nossa História

A+ A A-

Educação Vicentina  na história

 

A educação esteve presente desde as origens da Companhia das Filhas da Caridade, a qual se deu em Paris/França, no dia 29 de novembro de 1633. Nesta data, Luísa de Marillac reúne em sua casa um grupo de jovens camponesas, desejosas de dedicar suas vidas, seu tempo, seus dons para o serviço dos mais pobres. Entre as tarefas assumidas, está ao ensino às crianças, particularmente as meninas e os pobres. As “Pequenas Escolas”, como eram denominadas, surgem especialmente no meio rural e são estabelecidas junto às Confrarias da Caridade, ação empreendida por Vicente de Paulo desde o ano de 1917 e junto às quais as primeiras Irmãs atuaram de forma direta. Coube à Luísa a organização pedagógica destas escolas e o preparo das mestras. Considerando que, para a época, o acesso à cultura era privilégio das classes abastadas, as Escolas Vicentinas oportunizavam o ensino básico e gratuito aos mais desfavorecidos, conectado com um ativo processo de evangelização.

 

Ao longo dos séculos, a Educação Vicentina acompanhou o desenvolvimento da educação, contextualizando sua proposta e prática pedagógicas às diferentes realidades. Contudo, o princípio orientador que acompanhou esta atualização situa-se na mesma convicção intuida pelos Fundadores: a educação assumida como ação de amor-serviço a Deus em favor dos mais pobres. Foi essa consciência identitária que levou a Companhia a ultrapassar as fronteiras da França e empreender frentes de missão em outros países.

 

O ano de 1849 assistiu à chegada das primeiras Filhas da Caridade no Brasil, vindas da França. Instalando-se na cidade de Mariana /MG, deram início à primeira obra educativa em terras brasileiras: o Colégio da Providência. Em 1904, chegaram ao Paraná, mais precisamente à Colônia Polonesa de Abranches, próximo a Curitiba, três Irmãs vindas da Polônia. Através delas, a Companhia respondeu ao pedido dos imigrantes poloneses que aí residiam, desejosos de oportunizar uma educação de qualidade a seus filhos/as. Nasce, assim, a Escola Polonesa São José – hoje Colégio Vicentino São José, sendo esta a primeira obra da Província de Curitiba. Na esteira desta, outras obras educativas foram abertas, muitas das quais permanecem ativas até hoje.

 

Escola Vicentina Mercês

 

A Escola Paroquial Nossa Senhora das Mercês, foi fundada em 03 de janeiro de 1931, por Frei D.Inácio Giovani Dal Monte, em colaboração com membros ativos da paróquia e pela Senhora Aída Teixeira Freitas. O primeiro corpo docente era constituído pela professora Aída Teixeira Freitas, na direção e as professoras normalistas: Amélia Denes, Dalila Saporski e Cecília Teixeira de Freitas.
Com o aumento crescente das matrículas, a direção resolveu apelar para a Congregação das Filhas da Caridade. Portanto, a Escola Vicentina Nossa Senhora das Mercês está sob os cuidados das Filhas da Caridade, desde o ano de 1932, quando assumiram a missão como professoras: Irmã Maria Edler, Irmã Marta Flizinkowski e Irmã Cecília Lechowski.

 

Em 1941, a direção da Escola passou para as Irmãs e a afluência dos alunos continuava mais e mais. Isso impulsionou a construção de um novo prédio que comportasse o número de alunos e as atividades que estavam sendo desenvolvidas. Com o nome de Instituto Nossa Senhora das Mercês, em 1941, a Escola adquire autonomia não pertencendo mais à Paróquia.

 

Passando os anos, chegamos a 1954, nova construção, desta vez do atual edifício sendo o mesmo concluído em 1956.

 

De crescimento em crescimento, a Escola atendeu às necessidades que fizeram parte do seu contexto histórico, adaptando-se às necessidades da época. Assim, nesta Instituição já funcionaram diversas atividades, tais como: Pensionato, Internato, Conservatório de música, cursos de datilografia, curso de corte e costura e demais trabalhos manuais, Escola de Enfermagem (Etecla), Sede do Secretariado da CRB e da CNBB, AIC - Associação Internacional da Caridade e o Seminter para atendimento de crianças carentes de 1a a 4a séries. Durante estes anos forma as futuras Filhas da Caridade através das aspirantes e postulantes.

 

A partir do ano de 1999, novamente a Escola passa por diversas reformas de ampliação e modernização: - mudança de local, informatização e renovação do acervo da Biblioteca escolar, criação da sala de multimídia - aquisição de novos computadores e modernização do Laboratório de Informática, montagem e compra de equipamentos para o Laboratório de Ciências Naturais - construção do Ginásio Poliesportivo, - reforma dos espaços físicos, ampliação e aquisição de mobiliário e materiais pedagógicos para a Educação Infantil e 1ª. a 4ª. séries, - reformas das instalações dos banheiros internos e externos, pintura externa e interna do prédio, ampliação do sistema administrativo de informática e implantação do novo sistema de telefonia.

 

Também houve ampliação da oferta de ensino, a Escola passou a oferecer o Ensino Fundamental de 6° ao 9° ano, período integral para alunos da Educação Infantil e de 1º ao 5° ano.

 

A partir do ano de 2004, abertura da turma do Nível II, para atendimento às crianças de 02 a 03 anos.

 

Em 2008, reforma e adaptação do Banheiro para alunos portadores de necessidades especiais.

 

Em 2013, nova reforma da Biblioteca Escolar, com renovação do espaço físico e novo layout mais moderno. Também reorganização do acervo da mesma.

 

Também neste ano foi realizada a reforma completa do Parque Infantil e compra de novos brinquedos.

 

Em 2014, implantação do Sistema Wi-fi em todo o prédio e reforma do piso da área da Educação Infantil.

 

Em 2015, pintura externa e interna de toda a Estrutura Física da Escola.

 

Em 2016, inauguração da Capela e ampliação da Educação Infantil, com o Nível I.